Porto Alegre | RS
51 3024.2064
Florianópolis | SC
48 3226.1616

treinar@treinar.com.br
Biblioteca

Usando o Coaching para Preservar Relacionamentos

 

Vivemos em um mundo conturbado, onde as pessoas estão cada vez mais envolvidas com diversas atividades e dividindo seu tempo de forma perigosa, não avaliando mais se o que estão fazendo é importante para suas vidas ou não. É comum você ouvir das pessoas: “Eu não tenho tempo”. Na verdade o tempo é sempre o mesmo para todos, o que queremos dizer com isto é que não temos prioridade para fazer a atividade, no momento. Muitas vezes, priorizamos certas coisas em detrimento de outras, que são mais importantes nas nossas vidas. O problema é que às vezes iremos perceber isto muito tarde e não poderemos voltar no tempo. A turbulência atual nos remete ao mundo da pressa, dedicando menos tempo às pessoas e produzindo frases prontas. Diante de um problema, é mais fácil dizer para nosso cliente, liderado ou mesmo para os nossos filhos o que eles devem fazer, ao invés de escutá-los, entendê-los e compartilhar uma solução para o problema. Você poderá até argumentar: “Eu tenho experiência, já passei por isto antes”. No entanto, mesmo que você tenha razão, a outra parte não estará comprometida com esta solução. Além disto, o uso constante deste comportamento irá inibir a criatividade, reduzirá o diálogo e criará um abismo entre você e as outras pessoas. Cada vez mais, temos problemas de relacionamento entre pais e filhos, entre cônjuges, entre irmãos, entre amigos, entre sócios, entre líderes e liderados, entre colegas na empresa e entre clientes e fornecedores. A razão disto, normalmente, está no processo de comunicação. Qualquer pesquisa feita para identificar os motivos dos principais problemas nas empresas e nos nossos lares, irá resultar como causa número 1 a falha na comunicação.

 

Como podemos reduzir os problemas de relacionamento em nossas vidas? Melhorando nosso processo de comunicação. Um posicionamento mais questionador, atuando como um coach nestas situações, pode ajudar a melhorar o problema de comunicação, pois esta baseia-se em perguntas e não em afirmações, compartilhando com as outras pessoas a solução para um problema. Ao utilizar o coaching no processo de comunicação nós iremos ouvir mais, compreenderemos melhor as pessoas, não perderemos tempo com discussões sem fim e iremos focar na solução dos problemas, sem desgastes nos relacionamentos. Através do coaching podemos chegar a uma solução onde ambas as partes estarão comprometidas e, portanto, com maior chances de resultados positivos.

 

Agora é importante perceber, que de nada adianta desenvolvermos nossa habilidade de perguntar, se não soubermos ouvir. Temos que desenvolver também esta habilidade, saber ouvir empaticamente, como nos ressalta Stephen Covey, autor da consagrada obra, Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes. Ouvir de forma empática pressupõe que a pessoa pretenda entender o que o outro está dizendo, porque está dizendo, que motivos o levam a dizer o que está dizendo. É colocar-se no lugar do outro e analisar se nesta posição também diria isto. É ouvir com a intenção de compreender e não de responder. A escuta empática é um grande aliado para preservar os relacionamentos.

 

Em um mundo onde a tecnologia afasta os que estão mais próximos e aproxima os que estão mais distantes, os contatos pessoais face a face estão ficando mais escassos. Passamos horas navegando na net, contando cada passo de nossa vida nas redes sociais para o mundo e, no entanto, mal sabemos do vizinho que mora ao lado. Nos poucos momentos que temos de relacionamento pessoal no mundo real precisamos de uma ferramenta mais efetiva de comunicação que possibilite conhecer mais as pessoas e seus problemas, que reduza os conflitos e faça a sociedade mais feliz. Experimente utilizar o coaching como ferramenta de comunicação, fazendo mais perguntas e escutando mais, e perceba como ele poderá agregar valor a sua vida.

 

Paulo Gerhardt é autor do livro Coaching de Vendas – Conduza seu Cliente para a Solução e Venda Mais (www.treinar.com.br), onde propõe mudanças de paradigmas na abordagem tradicional de venda para contornar as principais dificuldades, satisfazendo o cliente e vendendo mais.